O mercado contrata quem fez ensino à distância?

Com o dia a dia das pessoas tão corrido, muitas não deixaram de nutrir em seus corações o desejo de cursar uma faculdade ou de se atualizar com uma pós ou mestrado. As instituições de ensino, por sua vez, reconhecendo essa demanda, foram, aos poucos, se adaptando à nova realidade: cursos mais ágeis, mais baratos e flexíveis em termos de horário e necessidade da presença física do aluno. Daí, surgiram as EAD’s.

O que é EAD?

É a sigla para Educação à Distância, uma modalidade de ensino mediada por tecnologias (internet, computadores e etc), onde os docentes (professores) e os discentes (alunos) estão geográfica e temporalmente em lugares distintos. Na prática, não estão em um ambiente presencial de ensino-aprendizagem.

Mas esse diploma tem peso no mercado?

Essa é uma preocupação comum de quem está começando a pesquisar sobre o assunto, mas a Lei de Diretrizes e Base da Educação (LDB) legisla que o diploma de quem cursa uma modalidade à distância seja igual ao de quem cursar presencialmente, sem fazer nenhuma menção. O ex-aluno da Abracomex, Raul Marques, relata sua experiência da seguinte maneira: “Em todas as empresas que trabalhei, saberem que fiz um curso EAD nunca pesou na decisão de conseguir um emprego. Se você for competente, sempre haverá um lugar para você no mercado”.

De forma geral, o mercado observa a postura profissional, qualidade e potencial do colaborador, não as metodologias pedagógicas usadas. Muitas empresas tem se modernizado no seu processo de recrutamento e valorizado mais as competências comportamentais (soft skills). Nesse caso, existem vagas que passaram a ser destinadas a egressos de cursos EAD. Como não há um professor cobrando tarefas, o aluno acaba desenvolvendo mais habilidades como proatividade, disciplina, autonomia e organização. Características muito valorizadas pelas empresas.

Principais vantagens da modalidade  

Você estabelece seus horários: O aluno pode fazer seus próprios horários e criar uma rotina de estudos condizente com o seu ritmo de aprendizado e rotinas diárias. Seja antes, depois ou no intervalo do trabalho, não importa! Você decide.

Habilidades desenvolvidas: Para quem passou a vida toda no ensino presencial, pode ter um choque inicial pelo excesso de liberdade. Mas à medida que a pessoa vai se familiarizando com o novo ambiente de ensino-aprendizagem, acaba por ter desenvolvidas em si competências apreciadas pelo mercado. Segundo a empresária Daniela Klein: “Existem algumas competências que se destacam em que fez um curso à distância. Entre elas, está a autogestão e a automotivação”.

Pedagogia inovadora: O aluno pode contar com ferramentas tecnológicas (chats, videoconferências, simulações, exercícios online, ebooks e interação com colegas, tutores e professores) que lhe propiciam experiências mais enriquecedoras, como a possibilidade de rever as aulas quantas vezes quiser, como reforço da aprendizagem, uma vez que ficam gravadas. O que o professor disse mesmo? Deixa eu voltar o vídeo aqui!

Inclusão: A modalidade trouxe a possibilidade de uma gama de pessoas, que antes, por motivos geográficos ou econômicos eram impossibilitadas de fazê-lo, de terem acesso ao ensino de qualidade e poderem deslanchar em suas carreiras.

Reconhecimento: As instituições que desejam oferecer cursos EAD passam por um rigoroso crivo governamental. O Ministério da Educação (MEC) avalia todos os quesitos. Desde titulação dos professores, grade curricular, material didático, recursos pedagógicos, infraestrutura dos polos e infraestrutura tecnológica.  

E você, já decidiu qual curso EAD vai fazer? Conheça os cursos da Abracomex.

 

Direção por Marcus Vinicius Franquine Tatagiba

News

Deixe uma resposta